Por que e para que os gatos ronronam?

Primeiro post de 2013, finalmente. Mas tem algo diferente neste: Não foi escrito por mim, Felipe Cauville, e sim pela mais nova e bela escritora da Machina, Luiza Freire. Talvez você saiba de quem estou falando. Luiza é estudante de veterinária e fascinada por medicina, então, amantes dessas áreas, preparem-se para mais posts com esses temas. Começando com o ronronar dos gatos:

zr5a525837_295256547223459_646915754_n

Quem ja teve um felino doméstico sabe do que estou falando, o som estranho que vibra sua garganta e aparece como uma curiosa frequência grave, como um motorzinho. Ouvimos o ronronar diariamente em gatos dóceis, que apreciam carinhos, abraços e até compartilham da mesma cama. No entanto, não há concordância sobre a origem desse som.

Quem nunca ouviu um mito sobre o assunto? “Esse barulho é a doença que os gatos carregam, pneumonia.”, “Isso é o gato rosnando, por isso que ele é traiçoeiro, você faz carinho e o bichano te ataca.” Mas ao que parece, o ronronar é algo muito mais interessante do que esses mitos populares, afinal, sabe-se gato não é transmissor de pneumonia humana e essa história de traiçoeiro é coisa da nossa espécie.

Vamos às principais hipóteses:

1- O ato de ronronar pode estar associado á presença de gatos, de filhotes, da mãe; Tanto em estado de prazer como em situações de dor e medo; Para pedir comida como para chamar atenção.

Sério? Sério mesmo? Próxima hipótese.

2 – O ato de ronronar está associado às “cordas vocais”, na verdade, estruturas chamadas de pregas vestibulares. Estão localizadas próximo á traquéia, quase como um funil, e vibram, causando a frequência que gera o som.

Gostei, acreditaria nesse!

3 – O ato de ronronar está relacionado com a circulação sanguínea. De modo geral, podemos dizer que é causado por um aumento momentâneo na turbulência do sangue no sistema circulatório do gato. Esta turbulência seria mais intensa quando o sangue é desviado para uma veia excepcionalmente larga, situada no peito do animal e finalizaria na liberação de endorfina, causando bem estar instantâneo para o felino.

Uau, nós humanos não conseguimos essa proeza, por isso ansiamos chocolate!

fJpAH

Atualmente, existem estudos sobre a faixa de frequência gerada por essa turbulência (entre os 25 e 250 Hertz) mostrando que a mesma acelera processo de calcificação e recuperação, podendo beneficiar a saúde do animal e, possivelmente, de quem estiver próximo dele.

E como nós, donos de gatos, bem sabemos, este pequeno ser vivo é capaz de nos manipular com esses sons, as vezes agradáveis, as vezes irritante. Sabe-se que utilizam para conseguir comida e mais carícias. Quando alcançam o pico de sua frequência (300 e 600 Hertz) assemelham-se ao choro de bebês humanos. Afinal, não somos só nós humanos que estamos procurando nosso lugar na constante evolução – saber dominar seu próprio dono é um assunto sério para gatos e cães.

A única conclusão que tiramos desse assunto é que o ronronar é uma importante arma de comunicação aliada ao miado, assim como para manutenção de sua saúde e bem estar.

Até o próximo post!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: